sábado, 23 de julho de 2011

Estudo (poema ainda sem nome) I

Meus olhos embriagados de vertigem
flanam pela sombra da corda-bamba
por onde me equilibro carregando
um estandarte de idéias esquecídas

Nenhum comentário:

Postar um comentário