quarta-feira, 21 de março de 2012

Estudo I- Tesouro

Escorre mar salgado
nas maçãs arenosas do meu rosto
que nunca mais se viu molhado
por perder tempo escondendo os tesouros
que existem nas lágrimas de um poeta

Vou ser poeta.
                                                           [Decidi]                                                              
Para ser poeta é preciso chorar.
Vou ser poeta?                                                          
                                                           [Pensei com meus botões]

Se é assim, melhor furar logo os meus olhos
usando o broche de Jocasta
ou uma boa agulha de crochê
o importante é que toda vez que eu chorar
vou chorar sangue
que é para chorar de verdade
e deixar de lado todas as gotas vazias
que  não servem de mais nada
além de transbordar um copo já cheio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário