domingo, 2 de setembro de 2012

Poema notívago

Rosa,
Nunca fure o coração de um Rouxinol
ele leva no bico uma semente de maçã
que fecunda os amantes antes do arrebol
A culpa é da Cotovia, minha Rosa
a culpa é da Cotovia...
É ela o Arauto da manhã
que canta a desafinada toada do dia

A noite é uma mulher.
bebo dos teus seios de lua cheia
no teu olhar encontro as três Marias
mas me perco do cruzeiro do sul
quando me deito na cama da poesia

Assim me Pergunto,
Como não me assumir notívago?
Como não odiar a Cotovia?
Até você, minha Rosa, é traidora
pois só abre quando o sol luzia                                                 

Nenhum comentário:

Postar um comentário