sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Tremor Essêncial

Minhas mãos resmungam...
Não cansam de clamar caraminholas!
Querem cobrir-se nos bolsos
querem cruzar se entre as pernas
Desejo mostrá-las mas elas se escondem
Desejo entregá-las aos mais vastos amores.
Mas minhas mãozinhas inquietas
ansiosas e envergonhadas
se assumem mãos de mau poeta

Ai, como tremem minhas patas!
se cobrindo do resto do mundo
Ponho a culpa no cigarro, culpo mais bebida,
não desculpo os amores que me roubaram a vida
Imploro ao metacarpo- Calma!
Mas ele não para de sacudir...
e sai espalhando por ai
que a culpa desse tremor
é a essência de minh'alma

Um comentário: