sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Independência

No baixo-ventre das fachadas antigas
há sempre uma vitrine colorida
e em qualquer sombra de vida
que hoje existe em Vera Cruz
nos encosta o fantasma suicida
de Dona Maria, a Louca,
com os presentes que nos deu a Coroa:

Falange das Lights,
das Nikes,
das High Societies
e até dos Gatos Blau
Eu evoco os regalos!
eu evoco o enfarte
que ei de ganhar de Natal!

Fico com meu semblante cafeeiro
um Hamlet na multidão
mas me perco ao pé dos letreiros
proclamando como um cavaleiro
a independência da Avenida São João

Mas sem mais hipocrisias!
Fiquemos com a morte:

A República sou eu!
A Alforria sou eu!
A Inconfidência sou eu!
                                                           [Só eu...]
Pregado na cruz da igreja da Sé
ouvindo, respirando e vendo.
Mas principalmente gritando:

- Por que me abandonaste pai Tietê?
Por que me abandonaste?

Nenhum comentário:

Postar um comentário