quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Estátua de Drummond

                                                                                                Em homenagem ao bebado
                                                                                                da clássica foto da estátua de Drummond


Meu Carlos de Copacabana,
solitário e dominical
sentado na mesma bancada,
os olhos sobre a calçada
e as costas na Pedra do sal

Carlos,
poeta das Rosas,
sempre na mesma posição
os dedos cruzados
a cabeça de lado
vivendo em total solidão

                                                            [Ora, mas agora tu tens companhia!]


Lá vai de alcool o falador,
que só quer ouvir os teus versos
Por que você não responde?
Por que não recita alguma coisa?
Vamos Carlos! Anda!
Anda com a falange dos Lázaros!
levanta-te mineiro calado!
Pois esse homem sentado ao teu lado
só quer olhar por trás dos teus óculos
de pacato funcionário do estado

Sentou pois apareceu uma estátua de pedra em seu caminho!
Sentou porque uma flor nasceu na sua bancada!
Sentou por que Fulana não lhe deu atenção!
Sentou por Stalingrado!
Sentou por Mariquita!
Sentou pela repartição!
Sentou pela passagem do ano!
Sentou pelo teu coração...

Mas sentou.
e não foi para ser fotografado...

Sou esse homem, Carlos,
só quero te olhar escrever
sou teu Sebastianista
sou o bêbado que te clama conquistas
e uma flor a esperar para nascer

Nenhum comentário:

Postar um comentário