segunda-feira, 24 de junho de 2013

Desdém

Não deverias prestar-se a prática
de doar teu fruto a alguém.
Pensas o amor como sátira
como mera matemática
aplicada ao seu próprio bem

Quem ama, ama alguém,
o próprio verbo é transitivo...
Só se ama um objeto conciso
que não envolve mero desdém

Já te vi amar meninos
sempre por seu próprio deleite
faz promessas indecentes,
de mais um amor ascendente
que mascara seus próprios caprichos

E se não entendes essa forma
da gramática e das normas
não mereces esse ofício
pois vives apenas o artíficio
de fingir envolver-se com alguém

Mas se amas verdadeiramente
e agradeces pelo encontro
arranca essa pele de serpente
e percebe que simplesmente
-Amar é doar-se para o outro-

Nenhum comentário:

Postar um comentário