terça-feira, 9 de julho de 2013

Ser e Estar

Recuso ser
O incormável homem de punhos cerrados
O sacerdote negro de vinho e corpus
O indomável catastrofista pós-moderno
Os malditos americanóides do Green Peace
Os infernais europeus da academia
O maldito esfomeado nordestino
O sedento desgraçado africano
O paulista constitucionalista
O mineiro inconfidente
O punk, o junk, o funk, o sambista yankee
e qualquer outra assinatura de revista...

Devo estar
Na massa sedenta por pão e terra
Na missa sedenta de vinho e hóstia
Na domini catastrofe contemporânea
Na salvação das baleias
Na aplicação da pesquisa
Nos institutos sociais
Na luta pelo apartheid
Na revolução,
Na federação,
Na dança dos punks, dos funks, dos sambas yankees
e poder assinar as revistas...

Mas não sei ser sem estar...
dizem que para os Russos,
para os japoneses,
para os estadunidenses,
tanto ser, quanto estar,
dá no mesmo pronome indecente

Mas aqui,
onde estão as Palmeiras, onde são os sabiás,
Não se é nem se está...
Da forma que soa o canto de cá
os objetos das frases vem para dividir-me
pois entre a essência e a imanência
o significado de ser é possuir-se

Nenhum comentário:

Postar um comentário