sábado, 31 de agosto de 2013

Histórias que a garoa conta

Quando sinto o cheiro de úmido
e o barulho das folhas no ar
sei que chega uma história
que a garoa vem me contar:

Juraram eterno amor
com fogo beijaram na boca
depois saltaram do viaduto
-História que a Garoa me conta-

Abraçou-se com o pai
e arrumou as roupas na trouxa
depois se enfiou no pau de arara
-História que a garoa me conta-

Pegou seu amigo com ela
e a viu se fazendo de tonta
depois manchou o quarto de sangue
-História que a garoa me conta-

Emprenhou a menina
sem dinheiro para pagar as contas
depois fugiu para outro estado
-História que a garoa me conta-

Guardou os últimos trocados
deu ao filho o brinquedo de onça
depois voltaram a pé para casa
-História que a garoa me conta-

Jantou com a mãe
batizou com remédios a tônica
depois desovou o corpo na estrada
-História que a garoa me conta-

É aí que puxo minha lança
e afiando com gosto sua ponta
me ponho a escrever no papel
as histórias que a garoa me conta

Pois tudo que escrevo não é meu
são fábulas todas prontas,
são elas, palavras de Deus,
palavras da minha gente.
Histórias que a garoa me conta

Meu ofício de poeta
não envolve inovar de mazelas
é saber ouvir as histórias do povo
e tornar a escrever de novo
-As histórias que a garoa conta-

Nenhum comentário:

Postar um comentário