terça-feira, 3 de setembro de 2013

Poema de água.

Lá no útero coração
está a água primeira
somos filhos do casamento
entre as caldas cristalinas
e a negrura da lameira

É feita de água a existência.
Uma pitada de prosódia,
um dedo de carência
um toque de demagogia
um quilo de custódia
e uma grama de orgia

E o fundo da nossa essência
é da água uma boa paródia
nosso mar é de demência
nossos rios são de discórdia
nosso açude a decadência
e o esgoto a misericórdia

Nenhum comentário:

Postar um comentário