segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Amor

Desde a mais tenra infância
sempre gostei de maçãs
são elas as frutas mais autênticas
não há forma no mundo mais frutífera
que uma redonda e vermelha
suculenta e pecaminosa
maçã.

Basta as observarmos
cheias de um sabor amarelo
em meio aos dedos que abraçam
toque por toque do seu alimento

Basta sentirmos
a doçura do mel
a cor dos seus gestos
a casca de suas formas

É de fato minha fruta predileta, a maçã...

Mas de que vale tanto vale-las?
Se é esta a fala da serpente.
Se de tanto engoli-las uma hora degluto
o gosto duro do seu enjôo profano...
Se de tanto quere-las, parece que já não me querem...
Se de tanto tocar a carne dos lábios em seu corpo vermelho
parece que se endurecem em diferentes temporadas do ano.

Só gostar das maçãs não basta
é necessário cultivá-las
e saborear as fibras rosadas,
das suas imensas manhãs.

Nenhum comentário:

Postar um comentário