quinta-feira, 28 de maio de 2015

Posição de dormir

        I

Do lado de lá

a pedra dança balé clássico
fazendo três acrobacias
sobre águinha cristalina
até chegar no profundo

A criança com mira mole
esburáca um sonho duro

        II

Do lado de dentro

o travesseiro de pata na pata
uma pena foge sorrateira
penteando o leito quente
de cor branca leite candura

Ele mira ela, lábio dormente,
sonhando um futuro infinitivo

        III

Do lado de fora

as falanges esquentam um copo
os lampadários lantejoulam
sobre gotículas de chuva
que texturizam a mesa vermelha

A fêmea fumante mira a espuma
e sonha o mirante de um barco


         IV

Do lado de cá

as unhas batucam nas letras
pretas quadradas abecedáricas
em um sinônimo resultado
de companhia solidada

Eu miro a noite silente
tenho medo de sonho
não durmo.

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Quarto de Hotel

O céu não tem fim
em um hotel no interior

nem um som rodeia a cidade
nem uma roupa prende

felicidade

escuto o infinito
como um balão pegando fogo
escuto o ronco dos vizinhos
timbrando com o ar condicionado

sem mundo exterior.

Como são limpos esses lençóis...

O que será que passam as camareras?
nas camas brancas de casal...

A vida é um pouco mais suja
e um pouco mais quente
que os produtos presos no frigobar

Veja, Limpol, Astral...

Aguardo o café da manhã
e um amor para toda vida